Qual o salário de um oficial judiciário do TJMG?

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (tj mg) planeja abertura de um novo edital em março ou abril com vagas para oficial judiciário do TJMG. O certame será o primeiro edital após a unificação das duas instâncias do órgão. Dessa maneira, o tjmg passará a ter apenas um concurso público e não dois, como acontecia em anos anteriores. E pensando em ajudar você a antecipar seus estudos, além de você procurar por um bom curso tjmg, preparamos também um texto especial com tudo o que você precisa saber sobre a função de oficial judiciário do TJ MG!

Tudo sobre a careira de Oficial Judiciário do TJMG

Como ainda não sabemos todos os detalhes do concurso tjmg 2022 vamos utilizar informações do concurso tjmg realizado em 2017 como base.

Naquela época, o concurso tj mg ofereceu vagas no cargo de Oficial Judiciário (Classe D), na Especialidade Comissário da Infância e da Juventude.

Salário de um oficial judiciário do TJMG

O salário inicial deverá ser de R$ 2.986,57, mas no final da carreira o valor pode chegar até R$ 26.355,15.

É importante destacar ainda que os servidores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais também recebem benefícios como:

  • auxílio-alimentação (R$ 1.100,00 );
  • auxílio-transporte (R$ 150,00) e
  • auxílio saúde.

Requisitos para posse como Oficial Judiciário do TJMG

Em 2017, para participar era necessário possuir nível médio de escolaridade completo. E o edital do último concurso do tj mg, mencionava ainda que o candidato aprovado precisava atender aos seguintes requisitos no dia da posse:

  • ter obtido classificação no concurso, na forma estabelecida no Edital;
  • ser brasileiro, nato ou naturalizado, ou português amparado pela reciprocidade de direitos advinda da legislação específica;
  • ter, no mínimo, 18 (dezoito) anos;
  • estar em dia com as obrigações eleitorais;
  • estar em dia com as obrigações militares, se do sexo masculino;
  • achar-se em pleno gozo de seus direitos políticos e civis;
  • ser moralmente idôneo e não registrar antecedentes criminais;
  • ter boa saúde física e mental para o exercício das funções do cargo/especialidade para o qual se inscreveu;
  • possuir a escolaridade exigida para o cargo/especialidade pretendido, de acordo com o disposto no subitem 4.1 do edital;
  • apresentar a documentação exigida no Edital para a posse.

Atribuições do Oficial Judiciário do TJMG

Ainda usando como base o edital 2017 tj mg, o documento mencionava que as atribuições estavam em conformidade com o disposto na Resolução TJMG nº 367, de 18 de abril de 2001, o cargo Oficial Judiciário (Classe D) – JPI-SG Especialidade: Comissário da Infância e da Juventude. A lista é a seguinte:

  • Auxiliar no preparo de processos, promover medidas preliminares de instrução relativas a crianças e adolescentes, determinadas pelo juiz;
  • lavrar auto de infração, quando constatar violação das normas de proteção à criança e ao adolescente que tipifiquem infrações administrativas;
  • fiscalizar a execução das normas de assistência e proteção que digam respeito à criança e ao adolescente;
  • cumprir determinação judicial, com o fim de esclarecer fatos ou circunstâncias que possam comprometer a segurança física e moral de crianças e adolescentes;
  • auxiliar a criação e manutenção de cadastro contendo informações sobre crianças e adolescentes sob regime de acolhimento familiar e institucional;
  • substituir a chefia no seu impedimento ou afastamento, quando indicado pelo superior hierárquico;
  • participar de comissões e grupos de trabalho;
  • executar outras atividades identificadas pelo superior hierárquico, relacionadas com a atividade fim, inclusive no que concerne ao processo judicial eletrônico em suas várias formas.

Como é a prova para Oficial Judiciário do TJMG

Ainda não sabemos exatamente como será a prova do concurso tj mg em 2022, mas ainda usando como base o certame organizado em 2017 podemos esperar que os candidatos sejam avaliados com uma prova objetiva de múltipla escolha. A duração para resolução deverá ser de 4 horas e há possibilidade de ocorrer aplicação nas cidades de Belo Horizonte, Diamantina,  Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Uberlândia e Varginha.

Já sobre as disciplinas da prova objetiva de múltipla, no último concurso tjmg, a distribuição foi a seguinte:

  • Língua Portuguesa – 25 questões
  • Noções de Informática – 15 questões
  • Noções de Direito – 25 questões
  • Atos de Ofício – 15 questões

Abaixo vamos detalhar o conteúdo das duas disciplinas que possuíam o maior número de questões: língua portuguesa e noções de direito.

Conteúdo de Língua Portuguesa para Oficial Judiciário do TJMG

  • Ortografia: emprego das letras; divisão silábica; acentuação gráfica; abreviaturas e siglas; sinônimos, antônimos, homônimos e parônimos; notações léxicas.
  • Pontuação.
  • Substantivo: classificação, formação, flexão e emprego.
  • Adjetivo: classificação, formação, flexão e emprego; locução adjetiva; adjetivos que indicam nacionalidade (gentílicos).
  • Pronome: classificação, formação, flexão e emprego; colocação dos pronomes oblíquos.
  • Verbo: conjugação dos verbos regulares, irregulares e defectivos; verbos abundantes; classificação, formação, flexão (modos, formas nominais, tempos, número, pessoa e voz); locução verbal.
  • Advérbio: classificação e emprego.
  • Análise sintática: termos da oração; estrutura do período (coordenação e subordinação);
    orações.
  • Sintaxe: concordância verbal e nominal; regência verbal e nominal.
  • Ocorrência de crase.
  • Interpretação de texto: informações literais e inferências possíveis.
  • Ponto de vista do autor.
  • Significação contextual de palavra e expressões.
  • Estruturação do texto: relações entre ideias e recursos e coesão

Conteúdo de Noções de Direito para Oficial Judiciário do TJMG

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988:

  • Dos princípios fundamentais (arts. 1º a 4º).
  • Dos direitos e garantias fundamentais (arts. 5º ao 13).
  • Da organização do Estado (arts.18 e 19, 37 a 41).
  • Da organização dos Poderes (arts. 44 a 47, 59,76 a 83, 92 a 135).
  • Da família, da criança, do adolescente e do idoso (arts. 226 a 230).

Constituição do Estado de Minas Gerais de 1989:

  • Dos servidores públicos (art. 20 a 37).
  • Da organização dos Poderes (arts. 52, 83, 96 a 118).

Lei de Organização e Divisão Judiciárias do Estado de Minas Gerais – Lei Complementar
estadual nº 59, de 18 de janeiro de 2001:

  • Das circunscrições (arts. 1º a 8º).
  • Dos órgãos de jurisdição (art. 9º).
  • Do Tribunal de Justiça (arts. 11 a 16, 23 a 26).
  • Da Jurisdição de Primeiro Grau (arts. 52 a 65, 74 a 85-B).
  • Da Magistratura da Justiça Comum (art. 163).
  • Da discriminação dos órgãos auxiliares (arts. 236 a 238).
  • Dos órgãos auxiliares dos Tribunais (arts. 239 a 243).
  • Dos órgãos auxiliares dos juízos (arts. 250 a 257)
  • Dos direitos do servidor (arts. 258 a 266).
  • Da incompatibilidade, do impedimento e da suspeição (arts. 267 a 269).
  • Da substituição (arts. 270 a 272).
  • Do regime disciplinar dos servidores do Poder Judiciário (arts. 273 a 290).
  • Da sindicância e do processo disciplinar (arts. 291 a 300).
  • Disposições Gerais (art. 301).

Regimento Interno do TJMG – Resolução do Tribunal Pleno nº 3, de 26 de julho de 2012:

  • Preâmbulo (arts. 1º e 2º).
  • Da constituição, da organização e do funcionamento dos órgãos (arts. 3º a 9º, 12 a 15, 25 a 34).
  • Dos recursos cíveis (arts. 375 a 385).
  • Dos recursos criminais (arts. 486 a 498).
  • Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei 8.069, de 13 de julho de 1990 (arts. 7º ao 24, 53 ao 69, 141, 143, 144 , 152 e 245 a 258C).
  • Lei sobre a Informatização do processo judicial – Lei nº 11.419, de 19 de dezembro de 2006.
  • Sistema Processo Judicial Eletrônico – Pje – Resolução do CNJ nº 185, de 18 de dezembro
    de 2013.

ATOS DE OFÍCIO

  • Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: arts. 227 e 228.
  • Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990). Parte Geral e Parte Especial.
  • Lei nº 12.594, de 18 de janeiro de 2012 (Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo – Sinase, regulamenta a execução das medidas socioeducativas destinadas a adolescente que pratique ato infracional, dentre outros).

Deixe seu Comentário